CASA CINE 2024 - AUTORES

Conheça os argumentistas selecionados para participar na edição de 2024 da CASA CINE!

4/17/20245 min read

É com muito prazer que a SERENA Productions e a La Napoule Art Foundation apresentam os autores-realizadores que farão parte da próxima edição da residência CASA CINE. O nosso júri, composto por Abdelkrim Bahloul, Pedro Borges, Melody Cooper, Anna Glogowski e Mathieu Sapin - selecionou os quatro candidatos que serão acolhidos em maio, no Château de La Napoule, para trabalharem no desenvolvimento dos seus projetos de primeira ou segunda longa-metragem.

Este ano, a residência irá receber os argumentistas Miao Yu (China), Julia Castro (Argentina), Pascal Tessaud (França) e Amaya Sumpsi (Portugal/Espanha).

Miao Yu

Autora-Realizadora
China

The Sixth Chime

Longa-metragem de ficção

Miao YU cresceu na China antes de ir estudar cinema em França, onde se formou na La Fémis em 2020. Realizou seis curtas-metragens que foram exibidas em vários festivais na China e na Europa, entre as quais The Dissonant Echo of Desire, The Elusive Joy of Labor e 24'58 On the Way to Dulpokanova, que ganhou o prémio de melhor curta-metragem narrativa no HiShorts! Film Festival 2021. O seu projeto de longa-metragem Moving recebeu o fundo de escrita do CNC - Centro Nacional de Cinema Francês.

Nos seus filmes, Miao Yu explora os fragmentos ocultos da realidade para revelar o absurdo da vida contemporânea através de escolhas narrativas que subvertem as convenções. Interessa-se particularmente por oferecer uma visão diferenciada da sociedade e das relações humanas.

Na CASA CINE, trabalhará na escrita de The Sixth Chime, uma ficção passada num colégio interno na China, convidando-nos a contemplar a natureza humana, o mundo interior dos adolescentes e as suas relações, aspirações, dúvidas e lutas.

Pascal Tessaud

Autor-Realizador
França

Azur

Longa-metragem de ficção

Pascal Tessaud é um realizador e argumentista francês. Após estudar literatura e cinema na Universidade Paris X Nanterre, realiza quatro curtas-metragens de ficção: Noctambules com Hiam Abbass, L'été de Noura, Faciès, e La Ville Lumière, que foi exibido em vários festivais - festivais como o Festival Internacional de Curtas-Metragens de Clermont Ferrand, o Hollyshorts de Los Angeles, o Paris tout court, entre outros - tendo ganho o Grande Prémio em Varsóvia, Nova Iorque, México e Toronto, assim como o Prémio do Público no CoLCoA em Los Angeles. Em 2014 escreveu, produziu e realizou a sua primeira longa-metragem, Brooklyn, selecionada para a secção ACID do Festival de Cannes, e que ganhou o Grande Prémio em Aubagne, Miami e no Hip Hop Film Festival em Nova Iorque. O filme foi selecionado e exibido em mais de 100 festivais por todo o mundo. Em 2019, realizou e produziu a série Paris 8, la fac Hip Hop para o ARTE.

Na CASA CINE, trabalhará na escrita da sua segunda longa-metragem, Azur, uma ficção que questiona os tormentos de uma geração de adultos perdidos que se reconstroem através do amor, da família e da amizade, passada na cidade de Marselha.

Julia Castro

Autora-Realizadora
Argentina

The Opposite Direction

Longa-metragem documental

Nascida na Argentina, Julia Castro estudou desenho de som na ENERC (Escola Nacional de Experimentação e Realização Cinematográfica) e Desenho de Imagem e Som na Universidade Nacional de Buenos Aires. Tem trabalhado como designer de som em várias longas-metragens. Entre seus trabalhos mais recentes estão Moto, de Gastón Sahajdacny e El Vaticano, de Gonzalo Almeida, dois documentários que tiveram ampla circulação em festivais. Colabora também frequentemente com o cinema de animação, tendo trabalhado com estúdios como o Can Can Club e com o cineasta Juan Pablo Zaramella. Como realizadora, assina quatro curtas-metragens: El Monstruo La Construcción, Hoy Anguila, Ukako e Sal, que utilizam diferentes técnicas de animação. Em 2014, Julia Castro instalou-se na Patagónia, onde lecionou na UNRN (Universidade Nacional do Rio Negro). É co-fundadora da produtora Hormiga Argentina, que produz actual First Names (Los Nombres Propios) de Fernando Dominguez, uma coprodução com a Alemanha e a França, com o apoio do Tribeca e do World Cinema Fund do CNC de França.

Atualmente, desenvolve a sua primeira longa-metragem como realizadora, The Opposite Direction, que em 2023 foi selecionada para a Berlinale Talents e fez parte da Seleção Oficial do Sunny Side of the Doc em França. Conta uma história esquecida sobre o futuro, debruçando-se sobre a primeira experiência de fusão nuclear controlada da história.

Amaya Sumpsi

Autora-Realizadora
Portugal/Espanha

Route 5

Longa-metragem de ficção

Amaya Sumpsi é uma realizadora e antropóloga visual espanhola, que vive e trabalha em Portugal. Faz parte, desde 2017, da coordenação do NAVA - Núcleo de Antropologia Visual e da Arte (CRIA-UNL/ISCTE), e é professora na Universidade ISCTE-UNL. O seu primeiro documentário Meu Pescador, Meu Velho estreou no Royal Anthropological Institute Film Festival (RAI-Edinburgh, 2013) e foi selecionado para inúmeros festivais de cinema documental. Em 2018, co-realizou Um Ramadão em Lisboa, um documentário colaborativo que estreou no festival IndieLisboa (2019). A sua primeira longa-metragem enquanto realizadora, Entre Ilhas (2022), recebeu apoio financeiro do ICA e da RTP e teve exibição em antestreia na Cinemateca Portuguesa, tendo sido também selecionada para festivais em Espanha, França e Tunísia.

Atualmente, está a desenvolver a sua segunda longa-metragem, Route 5, passada numa aldeia entre Espanha e Portugal. Na estranha mistura de ritmos da sua estação de serviço aberta 24 horas, entre a lenta deambulação de uma terra de ninguém e o ritmo vertiginoso de uma autoestrada de alta velocidade, uma mulher sem rumo reconhece certos traços do seu passado.

A SERENA Productions e a La Napoule Art Foundation agradecem a todos os candidatos e felicitam os participantes da edição de 2024 da CASA CINE, que terá lugar no Château de La Napoule, de 10 a 29 de maio!